Arquivo | Janeiro, 2011

Em grande, Deolinda…

29 Jan

.. e grande lição para todas as (pequenas) empresas que se acham grandes demais para pagar a recém-licenciados … cheios de ideias, de motivação e de força de vontade p’ra dar o que têm, p’ra mostrar ao Mundo o que sabem (!) Força, colegas desta (que sei que para muitos é) geração sem remuneração!

Clap, clap, clap aos Deolinda!

Sou da geração sem remuneração
E não me incomoda esta condição
Que parva que eu sou

Porque isto está mau e vai continuar
Já é uma sorte eu poder estagiar
Que parva que eu sou

E fico a pensar
Que mundo tão parvo onde para ser escravo é preciso estudar

Sou da geração casinha dos pais
Se já tenho tudo p’ra quê querer mais?
Que parva que eu sou

Filhos, marido estou sempre a adiar
E ainda me falta o carro pagar
Que parva que eu sou

E fico a pensar
Que mundo tão parvo onde para ser escravo é preciso estudar

Sou da geração vou queixar-me p’ra quê?
Há alguém bem pior que eu na tv
Que parva que eu sou

Sou da geração eu já não posso mais
Que esta situação dura há tempo demais
E parva eu não sou

E fico a pensar
Que mundo tão parvo onde para ser escravo é preciso estudar