Tag Archives: ironias da vida

Esta semana estudo todos os dias das 9h as 19h

15 Jun

… porque é que me conheço há 22 anos e continuo a acreditar nas minhas promessas, feitas a mim própria, se nunca fui capaz de as cumprir!?


# na blogosfera, esta semana, está na moda falar dos grandes problemas dos homens, dos grandes problemas das mulheres, dos grandes problemas de tudo. Pois bem … o meu grande problema é que sou uma grande mentirosa e nunca cumpro as minhas promessas, feitas a mim (!) … esta semana vou correr, esta semana não como chocolates, esta semana …..
fuckin’ liar!

# aliás, tinha dito ontem que esta semana não entrava no meu blog! ups …

#Isn’t it ironic?

15 Jun

Apesar de até hoje não se saber se é uma história realmente verdadeira ou não, diz-se que na primeira década do séc XX (enquanto Charles Chaplin assumia o máximo de popularidade) uma infinidade de “Chaplinistas” percorriam os circos e teatros,  imitando o grande génio do humor.E assim, na mesma altura, iam-se inventando concursos onde se premiava o que melhor realizasse a imitação/interpretação de Charles Chaplin.

Pois bem, conta a história que numa viagem a São Francisco, Chaplin teve conhecimento de um concurso de imitadores “Chaplinistas” e se deixou seduzir pela ideia de participar … e, de facto, participou! Resultado? Incrivelmente desastroso (!) O génio do humor não passou da primeira fase, com uma das piores classificações. E assim,  segundo o júri, Chaplin não era suficientemente bom imitador de Chaplin … isn’t it ironic?


… Tudo isto, porque um dos blogs que eu sigo assiduamente (O Bom, o Mau e o Vilão) – e que espero que me perdoe a referência a ele, sem sequer avisar – hoje deu largas à criatividade num post acerca da importância da sorte e do azar, em detrimento de se ser simplesmente bom, tão bem retratada no Mach Point … adorei o post, e dei por mim a pensar em quão irónica a vida é! Na sorte que precisamos para vencer,  …. wherever, pelo sim pelo não, estejam atentos aos sinais e “pozinhos de perlimpimpim que possam surgir sobre as vossas cabeças”, porque segundo Louis Pasteur (estou farta de “o” ler esta manhã)  “o acaso só favorece a mente preparada”